Associação Nacional de História
GT Nacional História Ambiental

Listar tudo - Listar comunicados - Listar publicações - Listar eventos - Lista de discussão Google

 

Chamada de Artigos: Dossiê “Geografia & História – Convergências Contemporâneas”

Publicado em: 16/08/2017 pela Coordenação do GT

No começo do século XX, o encontro entre Geografia e História revolucionou ambas as disciplinas, sobretudo quando se pensa na França. Historiador por treinamento, Paul Vidal de La Blache fundou as bases da moderna Geografia Humana e Regional em páginas que ajudaram Lucien Febvre e March Bloch a propor uma História Regional das sociedades, das economias e das culturas, ou seja, de coletividades humanas que construíam suas próprias trajetórias em interação laboral e cognitiva com territórios concretos. Essa mútua fertilização arrefeceu na segunda metade do século XX, quando tanto historiadores quanto geógrafos diversificaram seus diálogos interdisciplinares. No final daquele século e começo do atual, entretanto, os dois campos voltaram a estreitar relações, estimulados – principal, mas não exclusivamente – pelas questões ambiental e cultural. A uma Geografia Histórica tematicamente diversificada vieram se juntar novas subdisciplinas, como a História Ambiental e a História Espacial, em que métodos e fontes geográficos e históricos são reformulados e subsidiam novas teorizações. O dossiê “Geografia & História – Convergências Contemporâneas” pretende trazer essas e outras discussões para a Revista Brasileira de Geografia, periódico que, ao longo do século XX, publicou inúmeros estudos na interface das duas disciplinas. Encorajamos a submissão de artigos teórico-conceituais, epistemológicos e metodológicos sobre essas relações disciplinares, artigos empíricos que explorem espacialidades (humanas e humano-ecológicas) a partir de uma perspectiva histórica, em qualquer período e região do globo, bem como artigos que estudem a história das práticas científicas em Geografia e áreas afins, como a Cartografia.

Editores
Stephen Bell (University of California, Los Angeles)
Sandro Dutra e Silva (Universidade Estadual de Goiás/Centro Universitário de Anápolis)

Leia sobre em:
http://www.rbg.ibge.gov.br/


Revista do CEOM: Dossiê “Saúde e Meio Ambiente”

Publicado em: 16/08/2017 pela Coordenação do GT

O "Cadernos do CEOM" é uma publicação do Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina, editada desde 1986, e tem como objetivo publicar resenhas e artigos inéditos no Brasil relacionados à História, Arqueologia, Antropologia, Sociologia, Museologia, Arquivística e Educação. É uma publicação semestral e temática, voltada aos acadêmicos de graduação e pós-graduação, profissionais e pesquisadores.
Para o primeiro semestre de 2018 serão recebidos artigos inéditos relacionados ao tema “Saúde e Meio Ambiente”, objetivando reunir contribuições que, na perspectiva das ciências humanas, reflitam sobre as interações entre as sociedades e o meio ambiente, assim como seus desdobramentos para a saúde dos seres humanos.
O prazo limite para envio dos artigos é 31 de outubro de 2017.

Leia sobre em:
http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rcc/issue/archive


Chamada pública para propostas de capítulos

Publicado em: 27/07/2017 pela Coordenação do GT

Divulgamos a Chamada Pública de propostas de capítulos para a Coletânea Educação ambiental, sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: contribuições para o ensino de Graduação da Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal Fluminense (UFF).
A proposta central desta coletânea é refletir sobre práticas e metodologias relacionadas ao ensino de graduação acerca das temáticas de educação ambiental, sustentabilidade, desenvolvimento sustentável e seus desdobramentos, os quais vêm sendo cada vez mais reconhecidos e trabalhados, mundialmente, em diversos ramos da educação e política.

Leia sobre em:
http://www.editais.uff.br/2139


Reunião aberta do GT Nacional História Ambiental

Publicado em: 17/06/2017 pela Coordenação do GT

Prezados(as) colegas
Convidamos para a reunião aberta do GT Nacional História Ambiental, no dia 27 de julho de 2017, as 14 horas, integrada ao XXIX Simpósio Nacional de História da ANPUH, que acontecerá em Brasília, no DF.
Local: Bloco de Salas de Aula Norte - BSA N AI 49/41
A reunião terá como pauta:

1. Relato das atividades do GT Nacional no período 2015-2017;
2. Relato dos GTs estaduais;
3. Comunicação: 3o. Congresso Mundial de História Ambiental 2019;
4. Comunicação: III Escola de Pós-Graduação da SOLCHA;
5. Planejamento das atividades para o próximo período;
6. Eleição da coordenação;
7. Assuntos gerais.

Atenciosamente,
Marcos Gerhardt, Susana Cesco e Samira P. Moretto
Coordenacao do GT Nacional Historia Ambiental/ANPUH

Leia sobre em:
http://www.snh2017.anpuh.org/conteudo/view?ID_CONTEUDO=2312


Escuela de Posgrado da SOLCHA prorroga prazo de submissão de trabalhos

Publicado em: 30/05/2017 pela Coordenação do GT

Encaminhamos a IV Circular da Escuela de Posgrado da SOLCHA. Nessa circular nós prorrogamos o prazo de submissão dos trabalhos até o dia 30 de Junho de 2017.
Submissão dos trabalhos no link: https://goo.gl/forms/P9qptqdNeC7Q93n22

Leia sobre em:
http://gthistoriaambiental.org.br/2017-quarta-circular.pdf


Terceira Escola de Pós-Graduação SOLCHA

Publicado em: 11/05/2017 pela Coordenação do GT

A terceira Escola de Pós-Graduação da SOLCHA acontecerá entre os dias 24 a 27 de outubro de 2017 no Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA), Anápolis, Estado de Goiás, Brasil. O evento terá como instituições organizadoras o Centro Universitário de Anápolis, a Universidade Estadual de Goiás e a Universidade Federal de Santa Catarina.

Leia sobre em:
http://gthistoriaambiental.org.br/2017-terceira-circular.pdf


Tercera Escuela de Posgrados SOLCHA

Publicado em: 22/03/2017 pela Coordenação do GT

Anexo la segunda circular de la III Escuela de Posgrados de Solcha, que tendrá lugar del 24 al 27 de octubre en el Centro Universitario de Anápolis (UniEVANGÉLICA), Anápolis, Estado de Goiás, Brasil, y cuyo principal organizador es el profesor Sandro Dutra e Silva. Hay plazo hasta el 30 de mayo para aplicar.
Saludos a todos,

Claudia Leal

Leia sobre em:
http://gthistoriaambiental.org.br/2017-segunda-circular.pdf


III Escola de Pós-Graduação da SOLCHA

Publicado em: 01/02/2017 pela Coordenação do GT

A terceira Escola de Pós-Graduação da SOLCHA acontecerá entre os dias 24 e 27 de outubro de 2017 no Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA), Anápolis, Estado de Goiás. O evento terá como instituições organizadoras o Centro Universitário de Anápolis, a Universidade Estadual de Goiás e a Universidade Federal de Santa Catarina. Período de inscrição: até 30 de abril de 2017.

Leia sobre em:
http://gthistoriaambiental.org.br/2017-circular-escola.pdf


Chamada de artigo: dossiê “Gestão das águas e de territórios protegidos”

Publicado em: 27/12/2016 pela Coordenação do GT

As áreas protegidas são territórios dedicados à proteção da biodiversidade, dos serviços ecossistêmicos e dos valores culturais. Esses territórios são o principal instrumento para a conservação da natureza em todo o mundo. Contudo, por trás desse conceito se desvelam grandes desafios que vão desde a governança territorial, o manejo de ecossistemas e a gestão de conflitos. Um ponto chave para a gestão eficaz das áreas protegidas é a compreensão multidisciplinar e interdisciplinar dos sistemas socioambientais e institucionais: recursos hídricos, vegetação, solo, clima, fauna, infraestrutura e recursos humanos, dentre outros. A gestão das águas constitui outro grande desafio do nosso tempo, especialmente em razão das crescentes demandas e conflitos pelo uso da água e das crises hídricas que atingem diferentes regiões do País. Para superar essa situação, é importante a implantação do modelo sistêmico-participativo na gestão das águas, com descentralização, participação social e integração entre os segmentos e instituições. Em consonância com essas ideias, este dossiê está aberto à apresentação de artigos que discutam e usem estes conceitos de forma interdisciplinar e contribuam com a melhor governança das áreas protegidas e das águas e, em especial, com a APA do Planalto Central, microrregião de Ceres e bacia hidrográfica do Rio das Almas, estado de Goiás.

Leia sobre em:
http://revistas.unievangelica.edu.br/index.php/fronteiras/index


O Rio Doce um ano depois

Publicado em: 11/11/2016 pela Coordenação do GT

A colega Lise Sedrez (UFRJ) acaba de publicar um interessante texto sobre o desastre no rio Doce, um ano depois, no blog do Rachel Carson Center. Ele está disponível, em inglês, no endereço a seguir.

Leia sobre em:
https://seeingthewoods.org/2016/11/10/worldview-doce-river-disaster/


Foram propostos três STs para o Simpósio Nacional de História 2017

Publicado em: 11/11/2016 pela Coordenação do GT

O GT Nacional História Ambiental inscreveu três propostas de simpósio temático para o XXIX Simpósio Nacional de História, promovido pela ANPUH e agendado para 2017. São elas:

História Ambiental: o Antropoceno, desastres e biodiversidade
Eunice Sueli Nodari (UFSC) e Lise Sedrez (UFRJ)

História Ambiental: espaço, território e natureza
Eurípedes Funes (UFC) e Dora Shellard Corrêa (ENS)

História Ambiental: ciência, tecnologia e o mundo natural
Ely Bergo de Carvalho (UFMG) e Diogo de Carvalho Cabral (IBGE)

Leia sobre em:
http://www.snh2017.anpuh.org/


Chamada de artigos: Dossiê Territórios e paisagens na América Latina

Publicado em: 05/10/2016 pela Coordenação do GT

Território e paisagem são dois importantes conceitos das ciências sociais e ambientais e que abrangem um vasto campo de questões interdisciplinares em termos espaciais e temporais. Tradicionalmente usados pelos geógrafos, estes conceitos têm sido apropriados nas últimas décadas por ambientalistas e historiadores, dentre outros especialistas. Embora utilizado no esclarecimento e interpretação de diferentes dimensões da realidade, os conceitos de território e, sobretudo, o de paisagem, traduzem importantes pontos de contato: seu desenvolvimento permite uma visão mais complexa da espacialidade e materialidade das sociedades humanas ao longo do tempo. Território e paisagem ligam as ciências sociais com as ciências naturais, o mundo humano com o não-humano e o tempo com o espaço. São conceitos dinâmicos e complexos, que exigem abordagens teóricas e metodológicas interdisciplinares. Ambos permitem uma ampla gama de abordagens importantes no manejo com sistemas altamente complexos de conexões que refletem a multiplicidade de interações entre as sociedades e a natureza. O estudo e aplicação destes conceitos em locais específicos é um desafio interdisciplinar capaz de favorecer importantes contribuições para a compreensão dos processos socioecológicos em um mundo e uma América Latina em transformações.
Seguindo estas ideias este dossiê está aberto à apresentação de artigos que discutam e usem estes conceitos de forma interdisciplinar, para compreender melhor o passado e o presente da América Latina.

Organizadores
Claudia Leal (Associate Professor, Universidad de los Andes, Bogotá, Colombia)
Diogo de Carvalho Cabral (Department of Geography, Brazilian Institute of Geography and Statistics, Rio de Janeiro, Brazil)
Marina Miraglia (Associate Professor, Universidad Nacional de General Sarmiento, Buenos Aires, Argentina)
Rogério Ribeiro de Oliveira (Associate Professor, PUC-Rio, Rio de Janeiro, Brazil)

Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science

Leia sobre em:
http://revistas.unievangelica.edu.br/index.php/fronteiras


Revista Brasileira de Geografia está sendo novamente publicada

Publicado em: 28/09/2016 pela Coordenação do GT

A Revista Brasileira de Geografia está sendo novamente publicada, depois de 10 anos de inatividade. O primeiro número já está no ar e estamos trabalhando para publicar o segundo número, no começo do ano que vem. Embora ainda não tenhamos avaliação da CAPES, a RBG tem um nome e um capital simbólico grandes; fundada em 1939, ela foi uma das primeiras revistas científicas do país, e foi referência primordial na área de geografia e geociências por toda a segunda metade do século XX.
Estou escrevendo para convocar as/os colegas a colaborar com a retomada da RBG. Quem quiser ter seu artigo no próximo número precisa submeter até 31 de outubro. Basta acessar [o endereço a seguir], cadastrar-se como autor(a) e seguir o passo-a-passo da submissão. Aceitamos textos em português e espanhol.
Muito obrigado pela atenção!

Diogo de Carvalho Cabral

Leia sobre em:
http://www.rbg.ibge.gov.br/


Encontro Aberto do GT Nacional História Ambiental

Publicado em: 13/09/2016 pela Coordenação do GT

Caros(as) colegas

Renovamos o convite para participar do Encontro Aberto do GT Nacional História Ambiental, no dia 14 setembro/2016, as 14 horas, como parte da programação do 4 Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações, que está acontecendo em Florianópolis SC. A pauta será:

1. Relato das atividades do Grupo;
2. Criação de novos GTs estaduais de história ambiental;
3. Propostas de simpósios temáticos para o Simpósio Nacional de História da ANPUH;
4. Assuntos gerais.

Atenciosamente,
Marcos Gerhardt, Susana Cesco e Samira P. Moretto
Coordenação do GT Nacional História Ambiental/ANPUH

Leia sobre em:
http://www.labimha.com.br/4simposio/programacao


Chamada de artigos: Dossiê uso e conservação da biodiversidade, Revista Fronteiras

Publicado em: 26/07/2016 pela Coordenação do GT

A biodiversidade, ou diversidade biológica, é definida pela Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) como a variabilidade de organismos vivos de todas as origens, compreendendo os ecossistemas terrestres, marinhos e outros ecossistemas aquáticos, e os complexos ecológicos de que fazem parte. Ela abrange a diversidade entre as espécies, dentro das espécies, e de ecossistemas. A biodiversidade pode ser encarada em seu aspecto selvagem e também como biodiversidade domesticada, agrobiodiversidade. Ambas apresentam uma gama praticamente inesgotável de combinações organizadas em teias de alta complexidade, relações que refletem a diversidade na natureza e nas interações entre humanos e natureza, diversidade etnocultural. A teia da biodiversidade encontra-se ameaçada, em todos os seus níveis, e como sem ela não há vida nem processos ecológicos, o grande desafio é saber como equacionar o uso e a conservação da biodiversidade que ainda resta. O presente dossiê está aberto a artigos que discutam esta temática do Uso e da Conservação da Biodiversidade.

Revista Fronteiras, v. 5, n. 3, 2016. Prazo para submissão: 26 set. 2016

Organizadores/editores
Rubens Onofre Nodari (Universidade Federal de Santa Catarina)
Eunice Sueli Nodari (Universidade Federal de Santa Catarina)
José Luiz de Andrade Franco (Universidade de Brasília)

Leia sobre em:
http://revistas.unievangelica.edu.br/index.php/fronteiras/index


Ativada a nova lista de discussão do GT

Publicado em: 13/07/2016 pela Coordenação do GT

Foi ativada a nova lista de discussão do GT Nacional História Ambiental da ANPUH. Ela substitui a lista anterior, do Yahoo e sua criação foi proposta na última reunião do GT, durante o XXVIII Simpósio Nacional de História, em Florianópolis, em 2015. A lista anterior será desativada em breve.
Para participar, basta estar cadastrado como integrante na página do GT. Para sair da lista, marque a opção "Não receber mensagens" em seu cadastro.

As novas mensagens podem ser enviadas para:

Leia sobre em:
http://gthistoriaambiental.org.br/lista.php?r=5


Chamada de artigos: Revista do Laboratório de Ensino de História e Educação

Publicado em: 11/07/2016 pela Coordenação do GT

A revista do Laboratório de Ensino de História e Educação (LHISTE/UFRGS) convida os pesquisadores a submeterem artigos para compor o dossiê Meio ambiente na aula de História: interações entre ensino de história, história ambiental e educação ambiental. Os textos serão aceitos até o dia 09 de janeiro de 2017, para publicação no v. 4, n. 7, de jul./dez. 2017. Organização: Elenita Malta Pereira (UNICENTRO).

Leia sobre em:
http://seer.ufrgs.br/revistadolhiste


Convocatoria para becas para estudiantes de posgrado

Publicado em: 26/05/2016 pela Coordenação do GT

SOLCHA se complace en anunciar que se encuentra abierta la convocatoria para becas para estudiantes de posgrado cuya ponencia o póster haya sido aceptado para ser presentado en el VIII Simposio de la Sociedad Latinoamericana y Caribeña de Historia Ambiental (Puebla, México, 3-5 de agosto de 2016).
Los montos de las becas dependerán en el número de postulantes calificados/as y las distancias que tendrían que viajar entre otros factores.
Los criterios de evaluación incluyen: pertinencia y originalidad de la propuesta, baja representatividad en los simposios SOLCHA del país de procedencia de la/él candidato/a y/o de su caso de estudio.
Enviar antes del 15 de junio una carta de max. 1 página postulando su candidatura, junto con su hoja de vida resumida, y el resumen aprobado de la ponencia o póster al coordinador del comité de selección.
Las becas serán anunciadas antes del 1 de julio y entregadas en efectivo a los ganadores en una sesión plenaria el primer día del Simposio.
Saludos cordiales

Dr. Adrián Gustavo Zarrilli
Presidente Sociedad Latinoamericana y Caribeña de Historia Ambiental
Investigador Independiente CONICET - Profesor Asociado
Centro de Estudios de la Argentina Rural
Universidad Nacional de Quilmes

Leia sobre em:
http://www.acatlan.unam.mx/noticias/5741


Sementes crioulas rio-grandinas: um convite à reflexão sobre a alimentação, o patrimônio e a história local

Publicado em: 01/03/2016 pela Coordenação do GT

Destacamos este texto, publicado no jornal Agora, escrito pelo colega Daniel P. Prado (FURG) com a colaboração das alunas Nadia Costa Jaques, Suserli Carvalho Pereira e Hardalla do Valle, do Grupo de Trabalho, Pesquisa e Extensão de História Ambiental (GTPEHA). O texto aborda o trabalho do Grupo no programa de extensão “A História Ambiental como estratégia de intervenção na cidade do Rio Grande/RS”.

Leia sobre em:
http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=5&n=83085


Nova página do GT

Publicado em: 05/02/2016 pela Coordenação do GT

Comunicamos que a nova página do GT Nacional História Ambiental está disponível. O conteúdo é o mesmo da versão anterior, criada pelos colegas Ely Bergo de Carvalho e Jó Klanovicz.
Registramos um domínio próprio, do tipo .ORG, mudamos a aparência e acrescentamos alguma interação, ou seja, cada integrante pode ajustar suas informações pessoais e contribuir com atualizações, publicando diretamente na página.
Ela permanece aberta para receber notícias e informações (sobre pesquisas, eventos, publicações...) a serem divulgadas.
Agradecemos a colaboração da mestranda Débora Nunes de Sá (PPGH UPF), que ajudou na organização.


O Museu do Amanhã e a História Ambiental

Publicado em: 04/01/2016 pela Coordenação do GT

Conforme José Augusto Pádua:
Recentemente foi inaugurado no Rio de Janeiro o Museu do Amanhã, um projeto no qual participei desde o início. O trabalho começou há cerca de sete anos e os conteúdos do projeto foram desenhados por um grupo de mais ou menos 40 cientistas e investigadores. E também de inúmeros especialistas em museografia e tecnologias de comunicação. Para todos que trabalharam no projeto é uma alegria muito grande iniciar o ano de 2016 com a sua transformação em uma realidade concreta.
Desde o principio, a ideia foi fazer um museu de ciências com forte conteúdo humanista e ecológico. Sua temática central não são as inovações científicas e tecnológicas por si mesmas, mas sim as grandes questões e dilemas do presente e do futuro da humanidade no planeta. O nome Museu do Amanhã é significativo. Não é uma museu do "futuro". Mas sim do "amanhã" que está acontecendo todos os dias, das tendências que estão se abrindo a partir dos movimentos sociais e percepções coletivas do presente (inclusive as inovações tecnológicas).
O motivo especial de enviar essa mensagem para os solcheros tem relação com a forte presença da história ambiental no marco conceitual do museu. Eu até diria que a exposição permanente é um grande curso de história ambiental global!
No início do projeto fizemos uma oficina sobre história ambiental global, ou "big history" como alguns preferem chamar, e a estrutura do projeto ganhou corpo a partir desse marco. A ideia foi construir uma experiência educacional dinâmica e atraente que permitisse visualizar a grande história do "big bang" à crise da civilização industrial. Os espaços centrais são exatamente Cosmos, Vida, Mente, Antropoceno e Amanhãs. Um espaço bem marcante, onde trabalhei de forma mais concentrada, se chama Totens do Antropoceno. Ele apresenta uma experiência cognitiva intensa a partir das transformações históricas dos últimos 200 anos (a era fossilista em que ainda estamos vivendo). Depois desses totens se abrem espaços de reflexão e jogos interativos sobre como podemos participar de forma consciente na construção de um futuro mais sustentável.
Envio dois vídeos com reportagens sobre a inauguração do edifício (um projeto de Santiago Calatrava) e sobre os conteúdos do museu. Um dado importante é que todos os textos no museu aparecem ao mesmo tempo em português, espanhol e inglês, facilitando a participação de cidadãos de muitos países (incluindo o grande afluxo de visitantes que acontecerá nos jogos olímpicos de agosto de 2016).
Aqui está uma reportagem curta (3 minutos) e muito introdutória:
https://www.youtube.com/watch?v=7aTpfCAM21Y
Aqui uma reportagem bem mais longa e completa (22 minutos), com entrevistas e um recorrido pelos principais espaços do museu:
https://www.youtube.com/watch?v=2VCeSqerC5I
No início dessa segunda reportagem aparecem imagens de um fato que considero muito importante. Em meados do século XX, dentro da lógica do automóvel mandar no espaço urbano, foi feito um viaduto separando o centro da cidade e o mar. Para os automóveis passarem triunfantes, degradou-se ambientalmente e socialmente todo aquele espaço. Depois de um grande debate contra forças conservadoras, decidiu-se destruir esse viaduto e abrir novamente o centro da cidade para o mar. Com isso abriu-se espaço para vários projetos sociais, econômicos e culturais. Assim, o Museu do Amanhã é parte de um grande projeto de revitalização urbana.

Leia sobre em:
http://museudoamanha.org.br/